top of page
Buscar
  • Foto do escritoroncoreab

Problemas urinários durante o tratamento de câncer de próstata: o que são? como melhorar?




O QUE SÃO?


O termo disfunção urinária engloba tanto a incontinência urinária, que pode variar de algum vazamento até a perda completa do controle da bexiga, e sintomas miccionais irritativos (sintomas desencadeados pela irritação dos tecidos do corpo), incluindo aumento da frequência urinária, aumento da necessidade urinária e dor ao urinar.


A obstrução da bexiga por uma próstata aumentada é a razão típica para esses sintomas inicialmente; no entanto, após a terapia, esses sintomas geralmente são causados ​​por danos aos nervos e músculos que controlam o controle urinário.


Na clínica de Fisioterapia Oncológica OncoReab, a primeira clínica de Fisioterapia Oncológica de Belém-Pa, contamos com profissionais especializados e com amplo conhecimento na área de reabilitação de pessoas com disfunção urinária.

O QUE PODE GERAR?


Na prostatectomia, que é a remoção cirúrgica da próstata, a bexiga é puxada para baixo e conectada à uretra no ponto onde a próstata ficava. Se o esfíncter na base da bexiga for danificado durante esse processo, pode ocorrer algum grau de incontinência urinária ou vazamento.

Quase todos os homens terão algum tipo de vazamento imediatamente após a cirurgia, mas isso melhorará com o tempo e com exercícios de fortalecimento.


A maioria dos homens recupera o controle urinário em um ano. Aproximadamente 1 em cada 10 homens terá vazamento leve, exigindo o uso de 1 ou mais absorventes por dia. O treinamento muscular do assoalho pélvico com um fisioterapeuta pode ajudar.




Radioterapia é direcionado para a próstata, mas a bexiga está próxima à próstata e a uretra passa pelo meio da próstata, então ambas receberão alguma radiação. Felizmente, essas estruturas são bastante resistentes à radioterapia, e o vazamento a longo prazo é raro (1 em 100).


No entanto, eles podem ficar irritados durante e por meses após a radioterapia, que geralmente se manifesta como um leve aumento na frequência e urgência urinária. Isso também pode se manifestar como noctúria, ou acordar mais à noite para urinar.

A noctúria é mais comum nas poucas semanas após a radioterapia. Esses efeitos colaterais são incomuns após a cirurgia; de fato, para homens que apresentam sintomas significativos como frequência e noctúria devido ao aumento da próstata,


COMO MELHORAR?


A realização de fisioterapia, com o FISIOTERAPEUTA ONCOLÓGICO, por meio de um Programa de treinamento muscular do assoalho pélvico pode ajudar nas disfunções urinárias geradas pelo tratamento oncológico de câncer de próstata.


A equipe OncoReab se preocupa em realizar uma avaliação completa e direcionada a sua necessidade, nosso plano terapêutico busca traçar objetivos e metas para proporcionar um retorno mais rápido possível às suas atividades rotineiras.


Objetivos da fisioterapia envolvem:


1. Otimizar o padrão de contração dos músculos do assoalho pélvico.

Esta fase inclui certificar-se de que os músculos corretos estão sendo engajados. Isso envolve o uso de dicas verbais corretas, usando técnicas e recursos de feedback, como biofeedback, ultrassom em tempo real, análise visual ou palpação.


2. Controle em função.

É muito importante progredir para o funcional assim que conseguir contrair e relaxar a musculatura do assoalho pélvico corretamente. Os músculos do assoalho pélvico precisam ser exercitados em uma variedade de contextos e específicos para os problemas do indivíduo. Se um homem estiver com vazamento quando se move da posição sentada para a posição de pé, seria prudente praticar as contrações dos músculos do assoalho pélvico durante essa atividade.


3. Treinamento da bexiga.

O treinamento da bexiga é importante para manter a distensão e o volume da bexiga. Os homens muitas vezes restringem os líquidos para evitar que a urina vaze ou então eles vão ao banheiro com frequência “apenas por precaução”. Ambas as estratégias são prejudiciais à saúde da bexiga, e um programa abrangente de treinamento da bexiga deve ser implementado desde o início.


4. Treinamento de baixa intensidade para tarefas sustentadas.

Para homens pós-prostatectomia, o músculo que segura externamente a urina tem que aprender a manter a pressão de baixa intensidade pela qual o músculo que segura internamente a urina era o principal responsável antes de sua remoção. Isso é especialmente importante para o final do dia, quando a fadiga geralmente se instala e o vazamento costuma ser pior. .


5. Treinamento de força e resistência de alto nível para alta intensidade.

Esta fase envolve melhorar a força da contração, a resistência da contração, bem como a velocidade da contração


Caso tenha alguma outra dúvida sobre o assunto, entre em contato com a Clínica de Fisioterapia Oncológica OncoReab, que teremos o maior prazer em lhe responder.


Reserve um momento em sua agenda e venha conhecer o trabalho e espaço da Clínica de Fisioterapia Oncológica OncoReab localizada no Edifício Infinity Corporate Center no bairro do Marco em Belém-Pa e melhore sua qualidade de vida.






4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page